Veja os principais tipos de acidentes na construção civil

Veja os principais tipos de acidentes na construção civil

O setor de construção civil é um dos que apresentam maiores riscos à saúde e integridade física de seus colaboradores, e são vários os tipos de acidentes registrados no dia a dia de um canteiro de obras. As atividades desenvolvidas são diversificadas, muitas delas são perigosas e um descuido pode custar a vida de um profissional, como trabalho em altura e serviços com eletricidade.

A segurança no trabalho é fundamental para qualquer empresa, independentemente de seu segmento ou porte. Isso torna-se ainda mais agravante em uma obra pela presença e operação de maquinários pesados, grande número de trabalhadores e diversidade de tarefas, uso de ferramentas cortantes e pontiagudas, dentre outros fatores que ameaçam a segurança de um trabalhador.

Pensado nisso, fizemos este post para que você conheça os principais tipos de acidentes presentes no setor de construção civil, e saiba como criar um ambiente mais seguro, preventivo e produtivo. Acompanhe!

Quedas de trabalhadores

Um dos principais tipos de acidentes na construção civil é a queda de trabalhadores. Muitas obras exigem o trabalho em altura, principalmente em edificações, mas se não forem tomados os devidos cuidados e precauções, o trabalhador poderá cair e as consequências podem ser desde pequenas lesões até a morte.

Essa situação é desagradável tanto para o colaborador que sofreu a ocorrência e pode ter danos irreparáveis, como para a empresa que pode perder sua credibilidade no mercado e arcar com altos prejuízos financeiros, como indenizações de milhares de reais.

Por isso, evitá-la é uma vantagem para todos os envolvidos. O uso de Equipamentos de Proteção Individual (EPI) e Equipamentos de Proteção coletiva (EPC) são algumas das medidas de segurança muito eficientes para prevenir quedas.

Quedas de objetos

Acidentes com quedas de objetos também são muito comuns, e a prevenção depende muito dos colaboradores envolvidos na execução dos serviços. Isso porque a sua principal causa é a falta de atenção.

A ausência de uma política de prevenção de acidentes e de informações sobre a importância das medidas de segurança também são possíveis causas dessa ocorrência. Orientar e exigir dos colaboradores o uso dos EPIs e EPCs também são ações essenciais para evitar esse tipo de situação ou, ao menos, minimizar os impactos. 

Impactos

O setor de construção civil é composto por diversos equipamentos e máquinas de grande porte e, por isso, os riscos de impactos e colisões entre esses veículos são altos. A depender do tipo e do tamanho de uma obra, o fluxo de caminhões, tratores e empilhadeiras pode ser intenso e, por isso, os operadores precisam ser bem treinados e atentos todo o tempo.

Caso contrário, os acidentes acontecem com maior frequência, causando grandes prejuízos tanto para o trabalhador como para a empresa. Garantir que os operadores utilizem o cinto de segurança e todos os outros EPIs adequados para a sua função é o primeiro passo para evitar grandes danos. 

Acidentes com eletricidade

No dia a dia de uma obra é muito comum colaboradores não capacitados tentar corrigir problemas de eletricidade com soluções temporárias, as famosas gambiarras. Essa é uma das principais causas desse tipo de acidente. Os índices são altos também pela grande quantidade de equipamentos e ferramentas que precisam de energia elétrica para funcionar e a urgência da execução das atividades.

Para evitar esse tipo de situação, é fundamental informar que apenas os eletricistas são habilitados para fazer extensões, ligações e proteção de instalações, e com o uso dos EPIs recomendados. E, o mais importante, disponibilizar este profissional nas frentes de serviço. 

Cortes e lacerações

Materiais cortantes também são muito comuns no dia a dia do canteiro de obras, como serras e canivetes, e, por isso, também há uma grande incidência de acidentes com cortes e lacerações. Geralmente acontecem pela falta de uso dos EPIs exigidos nesse tipo de atividade, como uma luva de proteção, que aumenta o tempo de resposta no caso da mão do trabalhador entrar em contato com a lâmina.

Outra grande causa desse tipo de acidente é a ausência de treinamento dos colaboradores, que muitas vezes não sabem manusear o equipamento de forma segura, tampouco quais são as recomendações das normas de segurança.

Por isso implantar uma política de prevenção e combate aos acidentes no ambiente de trabalho é essencial para diminuir os índices e resguardar a saúde e a integridade física dos colaboradores. 

Lesão por Esforço Repetitivo (LER)

Esse tipo de doença é muito comum entre os trabalhadores da construção civil, pois a grande maioria executa serviços repetitivos, operacionais e rotineiros. Ou seja, os profissionais realizam o mesmo movimento por um longo período de tempo. A forma mais eficiente de minimizar os seus riscos é fazer alongamento ao longo da jornada de trabalho, utilizar os EPIs recomendados e mudar um pouco as atividades na rotina

Exposição a ruídos intensos e contínuos

Este é mais um dos tipos de problemas que podem ser evitados com o uso dos EPIs adequados, como protetor intra-auricular de qualidade, que é capaz de absorver de forma eficiente o barulho externo característico de um canteiro de obras.

A falta desses equipamentos expõe o trabalhador a ruídos intensos e nocivos que afetam negativamente os seus ouvidos internos por toda a sua vida, podendo causar até perda auditiva. Também é importante respeitar o tempo determinado para exposição a esses ruídos, mesmo com o uso de EPIs. 

Como visto, são muitos os tipos de acidentes de trabalho no ramo de construção civil. Apesar de os índices serem alarmantes, muitos deles podem ser evitados, a começar pelo cumprimento das instruções normativas. A principal regulamentação para este setor é a NR-18, que estabelece diretrizes administrativas, de organização e de planejamento para implantação e controle de medidas de segurança.

Com ela, é possível realizar as tarefas de forma adequada, aumentando a produtividade, diminuindo o número de ocorrências, minimizando os riscos e preservando a saúde e a integridade física dos colaboradores. Pequenas ações, como o uso dos Equipamentos de Proteção Individual (EPI), podem salvar vidas e evitar grandes prejuízos para os envolvidos. 

E aí, o que achou do nosso conteúdo? Foi útil para você conhecer os principais tipos de acidentes registrados em uma obra? Conte-nos nos comentários!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *