Como fazer a cotação de material de construção? Confira aqui!

Como fazer a cotação de material de construção? Confira aqui!

A cotação de material de construção é uma das etapas mais importantes de uma obra e, ao mesmo tempo, uma das mais negligenciadas.

Em geral, as pessoas começam uma obra escolhendo itens como revestimentos e decoração, mas acabam deixando de lado alguns aspectos imprescindíveis, como planejamento e orçamento, onde estão contempladas as atividades relacionadas à cotação.

A cotação consiste em analisar os custos referentes à execução de cada etapa de um serviço, levando em conta principalmente o preço dos materiais e, em alguns casos, a relação com mão de obra também. Essa etapa é importante porque pode proporcionar significativa economia financeira e evitar prejuízos futuros.

Quer saber mais sobre esse assunto e conhecer dicas incríveis de como cotar materiais? Então continue a leitura!

6 dicas de como fazer a cotação de material de construção

1. Definir a quantidade de materiais

A primeira etapa necessária para a cotação de material de construção é levantar tudo que será necessário e suas respectivas quantidades, dividindo-as para cada tarefa ou etapa.

É importante considerar um fator de perda e, para isso, você pode calcular uma média de 10% acima da quantidade que precisa. Dessa forma, evita-se tanto a falta quanto o desperdício de material.

Ao levantar as quantidades, é importante se atentar ao tipo de tarefa que será realizada e também as características do material especificado no projeto referência. Além disso, é essencial observar quando os materiais serão utilizados, afinal, muitos deles apresentam curta validade — como no caso do cimento que vale por apenas 90 dias — ou podem ser danificados se expostos à chuva, poeira e sol, de modo que se faz necessário verificar como serão armazenados e qual o custo para que seja feito uma estocagem adequada.

2. Comparar preços

Muitas pessoas acreditam que essa etapa consiste em comparar os preços apenas entre fornecedores diferentes, a fim de realizar a compra naquele que apresenta um preço mais competitivo. Contudo, esse momento também deve incluir o comparativo de opções e formas de compra.

Para isso, cabem os seguintes exemplos de questionamentos:

  • caso todo o material da obra seja comprado em um mesmo fornecedor, o preço será menor?
  • E se cada a compra de cada tipo de material for feita em fornecedores diferentes?
  • O preço é impactado ao selecionar diferentes opções de prazo e pagamento?
  • Qual situação será mais proveitosa: comprar os produtos aos poucos ou em grande quantidade?
  • Compensará ter um grande local de armazenamento?
  • É mais proveitoso alugar ou comprar um equipamento?

Como se vê, são diversas as questões a serem analisadas e respondidas nesta fase! Inclusive, é importante ressaltar que, mesmo comparando diferentes marcas e fornecedores, você deve visar sempre uma qualidade similar ou superior, nunca inferior.

Além disso, ao analisar e comparar o custo de um produto, é importante levar em consideração o tempo de aplicação e a quantidade de mão de obra demandada. Muitos produtos aparentemente podem ser mais caros, mas apresentam uma execução tão otimizada que a economia de mão de obra proporcionada o torna mais econômico do que outras opções que inicialmente pareciam mais vantajosas.

3. Selecionar fornecedores

Essa é uma etapa muito importante, pois a seleção deve ser feita levando em consideração diversos aspectos, tais como:

  • preço;
  • seriedade e comprometimento;
  • qualidade do serviço;
  • proximidade ao local da obra;
  • prazo de entrega;
  • opções de pagamento;
  • entre outras.

Você pode definir uma ordem de prioridade para esses itens e então escolher os fornecedores que atenderem melhor aos aspectos essenciais do projeto.

4. Verificar a forma de pagamento

A forma de pagamento é importante porque um dos aspectos mais relevantes em um empreendimento é o fluxo de caixa otimizado. Em alguns casos, uma saída de capital muito anterior à entrada pode reduzir significativamente a lucratividade. Dessa forma, não basta analisar apenas o preço, é importante verificar a forma de pagamento, os prazos, os juros e a existência de possíveis custos extras.

5. Ter um cronograma para a compra de materiais

Como falamos no início do texto, saber o momento certo para comprar cada material é muito importante para evitar gastos desnecessários, desperdícios, perdas e prejuízos.

Assim como o excesso de material prejudica o planejamento da obra, o contrário também pode ter efeito negativo, representando elevação nos custos, já que compras de última hora e em pequenas quantidades tendem a contar com menor margem de negociação.

Além disso, o pagamento contínuo de frete e possíveis atrasos na entrega são mais comuns quando os materiais são comprados de forma fragmentada.

Assim, fica evidente que ter um cronograma de compras bem estruturado impede que o desperdício ou a falta de materiais sejam recorrentes em sua obra.

6. Utilizar a tecnologia a seu favor

Caso você não tenha a opção de contar com softwares e aplicativos pagos para a cotação de material de construção, a dica é enviar uma planilha de Excel por e-mail para os fornecedores selecionados. Esta planilha deve conter a lista de materiais e quantidades necessárias. Outra opção é procurar versões gratuitas dos softwares disponíveis.

Esses processos e ideias podem parecer simples e comuns, porém poupam tempo, uma vez que eliminam o tempo gasto em diversas ligações telefônicas.

Contudo, caso deseje realmente investir em tecnologia, existem softwares e aplicativos que facilitam esse processo, permitindo que você o automatize e economize tempo. Abaixo destacamos alguns deles.

Veja Obra

É um software com foco em controle financeiro. Seu principal objetivo é estimar custos, lucros, pagamentos e o fluxo de caixa mensal para cada projeto.

Arquimedes

Esse software gera orçamentos e auxilia no controle financeiro através de 8 módulos independentes entre si e mais de 20 bases de dados. Com ele, é possível gerar relatórios comparativos e unificar orçamentos. Além disso, pode ser integrado com o Revit, para que se possa obter informações quantitativas dos projetos.

OrçaFascio

É um software utilizado para gerar orçamentos que tem como base a composição de custos presente na tabela SINAPI e os valores são atualizados em todos os estados do Brasil. Existem módulos pagos, mas também um gratuito com limite de 5 orçamentos e outros recursos limitados.

CAPP

É um aplicativo que realiza cálculos rápidos e informa a quantidade de material para determinadas tarefas básicas.

Reforma Simples

Esse aplicativo realiza cálculos básicos de quantidade de materiais por serviço e gera relatórios detalhados, levando em conta referências divulgadas pela Caixa Econômica Federal, SINAPI e IBGE.

Como você pôde ver, a etapa de cotação de material de construção não consiste apenas em orçar diversos fornecedores e escolher qual deles tem o menor preço. É imprescindível avaliar diversos aspectos, analisar com atenção as opções e situações e contar com fornecedores de confiança — evitando prejuízos e obtendo maior economia.

Gostou desse texto? Deseja acompanhar mais conteúdos como esse? Siga-nos em nossas redes sociais, estamos no Facebook e Linkedin.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *