5 dicas para a redução de custos em obras sem perder a qualidade!

5 dicas para a redução de custos em obras sem perder a qualidade!

Em tempos de crise no setor da construção — resultante da retração econômica sofrida no mercado — utilizar os recursos de forma otimizada e com sabedoria se tornou imprescindível para a sobrevivência das empresas. Por isso, a busca por redução de custos em obras têm sido cada vez maior, uma vez que a construção civil no Brasil frequentemente apresentava empreendimentos com aumento exponencial no custo e no prazo planejado.

Cada vez mais o mercado tem entendido que é importante investir em profissionais qualificados, em medidas, processos e metodologias que proporcionem a redução de custos na construção civil. Quer saber mais sobre esse assunto e conhecer 5 dicas que vão facilitar essa missão? Então, continue a leitura!

Importância das medidas de redução de custos em obras

A realidade da não utilização apropriada dos recursos é um dos principais motivos de problemas financeiros tanto no país quanto nas empresas em geral. Como todo momento de sucesso é consequência da correta utilização dos recursos e oportunidades, para mudar essa realidade, a consciência quanto a aspectos como uso racional de materiais, redução de custos, entre outros, está cada vez maior.

Dessa forma, cada vez mais sabe-se da importância de profissionais qualificados, projetos bem feitos, redução do desperdício de materiais, das atividades que não agregam valor e dos gastos desnecessários. Além de que atualmente esses aspectos não são mais vistos como gastos e sim investimentos necessários para a otimização dos recursos e consequente redução dos custos.

Conforme falado, a maioria esmagadora das obras ultrapassa o prazo e custo programados — isso quando há algum planejamento e orçamento prévio. Essa realidade resulta na redução do lucro dos empreendimentos, atingindo até o déficit financeiro em muitos casos. Para que a realidade das obras e empresas seja positiva e o lucro seja ampliado, é imprescindível adotar medidas de redução de custos.

5 dicas para otimizar a redução de custos em obras sem afetar a qualidade

Em primeiro lugar, antes de implementar qualquer dica, é necessário analisar qual a realidade da obra e da empresa, onde estão os gargalos, quais os problemas vivenciados e assim optar por ações que apresentarão resultados mais efetivos e significativos. Afinal, muitas vezes não é possível realizar todas as melhorias necessárias de uma só vez, não é mesmo?

1. Ter um projeto bem feito e definido

Uma das principais causas de elevação do custo e prazo em uma obra é a ausência de projetos ou da qualidade destes. O projeto bem feito proporciona a redução de retrabalhos e economia quando as soluções projetadas são bem pensadas. Muitas vezes, uma pequena alteração no pé direito pode reduzir o custo de uma obra em relação às instalações de combate a incêndio, excluindo a necessidade de hidrantes.

Outro exemplo é que quando os projetos são bem feitos, definidos e compatibilizados — por profissionais capacitados e especializados — não é necessário refazer alguma etapa e é possível economizar em fundação, estrutura e instalações. Essa integração promove uma grande redução de custos nas obras.  

2. Fazer uma análise precisa da obra

É preciso realizar uma análise que contemple todo o escopo e atividades a serem feitas, assim como todos os custos envolvidos. Uma ótima forma de fazer isso é por meio da curva ABC. Essa curva indica quais são os itens que apresentam maior representatividade no custo total e os que apresentam menor, em sentido decrescente.

Dessa forma, torna-se possível focar em negociações que sejam mais significativas, facilitar a tomada de decisão e também se atentar ao custo em geral — analisando possíveis cortes que possam ser feitos.

Essa análise também possibilita otimizar a aquisição de materiais e equipamentos, observando quais opções serão capazes de agregar performance, tornando o processo construtivo mais rápido e qualificado, por meio da retirada de etapas e produtos que não agregam valor, diminuindo desperdício de tempo e recursos.

3. Contar com profissionais qualificados

Os profissionais em uma obra devem ser qualificados em todas as etapas — desde o planejamento, até a finalização da execução. É comum encontrar pessoas e empresas que acreditam que contratar um projetista que apresenta menor preço ou não optar por um engenheiro acompanhando a obra em tempo integral proporcionará maior economia. Ou então, acredita-se que não é necessário contratar mão de obra treinada.

Contudo, na verdade, essas medidas geram maior gasto, pois muitas vezes as soluções projetadas não apresentam o melhor custo-benefício possível, a falta de um engenheiro pode gerar problemas na construção e a mão de obra que não tem um treinamento adequado, além de demorar mais, ainda desperdiça materiais, sendo muito comum a necessidade de refazer algum serviço.

Por fim, quando alguma etapa não é feita corretamente ou dentro do prazo correto, os impactos nas demais etapas são grandes, seja gerando atraso ou a necessidade de “disfarçar” o erro que foi feito. Um exemplo muito comum dessa realidade é tirar a diferença do prumo da parede com a argamassa.

4. Investir em sustentabilidade

A construção civil promove impactos ambientais significativos, no que diz respeito a fabricação dos materiais de construção e principalmente na quantidade de resíduos gerados em obras. Os investimentos em sustentabilidade são muito importantes tanto para o meio ambiente, quanto para a redução de custos, seja na construção ou no uso e operação da edificação.

A sustentabilidade está relacionada com a industrialização da construção, que, por sua vez, está diretamente ligada ao nível de planejamento de cada processo. Por exemplo, quando a modulação é incorporada, maior o nível de planejamento, maior a tecnologia e menor é a geração de resíduos. O Steel Frame, Wood Frame e os pré-moldados são alguns exemplos de construções industrializadas e consequentemente mais sustentáveis.

5. Usar tecnologia e acompanhar tendências

A tecnologia é uma grande aliada quando o assunto é reduzir custos. Existem softwares, simuladores virtuais, equipamentos, ferramentas e métodos construtivos que otimizam o processo, reduzindo erros, desperdícios e até mesmo o prazo da construção, em alguns casos.

Os equipamentos e ferramentas que aceleram o processo construtivo, os softwares que otimizam o processo de projeto e inclusive tecnologias como o BIM, que possibilita a criação de modelos virtuais das edificações a serem construídas, unificam diversas informações como orçamento, planejamento, dimensões, entre outras.

Por isso, é sempre importante estar atento às novas tendências — seja de softwares, métodos construtivos, equipamentos e outras informações, pois dessa forma será possível incorporar as novas tecnologias e descobertas nas obras, ampliando os resultados positivos a serem colhidos e promovendo a economia de recursos e tempo.

Essas 5 dicas são essenciais para possibilitar a redução de custos em obras na construção civil e são aspectos primordiais para que toda construção seja feita de forma adequada e correta, apresentando inclusive maior qualidade, uma vez que economia não está relacionada a utilizar materiais de qualidade inferior e sim a realizar os processos de forma mais eficiente.

Gostou deste texto? Quer ficar por dentro de assuntos como esse? Então siga-nos em nossas redes sociais: estamos no LinkedIn e Facebook.

Um comentário no post "5 dicas para a redução de custos em obras sem perder a qualidade!"

  1. José Cláudio Bandeira disse:

    Achei muito interessante o papel do engenheiro de custos em um empreendimento, sua visão contribui muito para reduzir os custos do negócio.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *