Entenda o papel do engenheiro de custos em uma obra

Entenda o papel do engenheiro de custos em uma obra

É muito comum, no Brasil, que a entrega de obras ultrapasse o prazo e o custo planejados. Quando isso acontece, o impacto financeiro é o maior problema a ser contornado — seja para o cliente ou para a construtora, afinal, o aumento não planejado do prazo também eleva o custo do empreendimento. Para mudar essa realidade, a figura do engenheiro de custos tem sido cada vez mais imprescindível.

Esse engenheiro é apto a realizar o orçamento do empreendimento, elaborar o cronograma financeiro, estipular um fluxo de caixa eficiente, coordenar os custos e as mudanças em uma obra, entre outras funções.

Quando essas tarefas são executadas com cuidado e qualidade, o resultado é um empreendimento mais lucrativo e dentro do custo planejado. Quer saber mais sobre essa função? Então, continue a leitura!

O engenheiro de custos

O engenheiro de custos é o profissional responsável por realizar o orçamento da obra, ou seja, dar uma previsão o mais realista possível do que será gasto em cada etapa da obra, programando desembolsos necessários em cada momento.

Também é responsabilidade desse profissional organizar a previsão de desembolsos e entradas de uma forma eficiente, a fim de elaborar um bom fluxo de caixa, elevando a lucratividade. Ele também deve controlar essas informações visando ao cumprimento do que foi planejado e adequando a realidade ao orçamento inicial sempre que necessário.

As principais funções do engenheiro de custos

Esse profissional apresenta diversas funções em um projeto ou na execução de um empreendimento. Veja, a seguir, as principais.

Prever os custos gerais de um empreendimento

Essa é uma das principais funções de um engenheiro de custos. Ele realiza um levantamento de diversas informações a fim de determinar a previsão de custos para cada etapa ou serviço de um empreendimento, assim como o custo global. Para isso, prevê custos com salários, benefícios, encargos sociais, impostos, fornecimento de materiais e equipamentos, taxas e seguros, transporte, entre outros.

Realizar a análise econômica

O engenheiro de custos também é responsável por analisar o mercado, as situações financeiras da empresa, os possíveis riscos, os imprevistos e as mudanças financeiras — em relação ao aumento do custo de materiais, salários, impostos e taxas.

Elaborar orçamento

Essa etapa consiste em utilizar um levantamento detalhado de todos os dados: quantitativo de serviços e tarefas, mão de obra necessária, quantidade de materiais, equipamentos, taxas, impostos, seguros, transporte necessário, equipe que estará envolvida, entre outros.

Após definição e levantamento desses dados e quantidades, o engenheiro realiza uma estruturação do custo referente a cada um, indicando tanto o custo respectivo de cada serviço ou material, como também o global do empreendimento.

É importante ressaltar que um orçamento eficiente engloba não só o levantamento dos custos durante a obra, incluindo também os anteriores e posteriores que forem relevantes para a construtora ou o cliente. Além disso, é a etapa que permite precificar o serviço ou produto como um todo.

Gerir o orçamento

Além da realização do orçamento, é imprescindível que esse seja controlado a cada etapa e as informações obtidas sejam organizadas em planilhas e arquivos para futura consulta. O engenheiro de custos, então, analisa o desempenho de cada etapa e confirma se o realizado corresponde ao planejado.

Quando o valor real for superior ao planejado em determinadas etapas, material ou serviço, o engenheiro de custos precisa reduzir o custo de outras tarefas, a fim de conseguir equilibrar novamente o orçamento. Essa gestão, além do monitoramento de desvios, também inclui a análise do cronograma físico-financeiro e do fluxo de caixa.

Medir o desempenho

Por meio da gestão do orçamento e do acompanhamento da execução, o engenheiro de custos avalia o desempenho tanto do orçamento realizado, quanto do empreendimento, analisando os desvios que ocorreram e se estão dentro de margens aceitáveis de erro.

Essa é uma etapa muito importante, pois muitas empresas não controlam a execução e, consequentemente, não têm dados históricos de produtividade e custos, utilizando, assim, informações generalizadas que podem ou não corresponder ao que está realmente ocorrendo. Por meio da medição do desempenho, é possível formar dados históricos que facilitarão novos orçamentos, tornando-os mais aproximados da realidade de cada empresa.

Controlar mudanças

Ao longo da execução de um projeto ou empreendimento, pode haver necessidade de interferências ou ações diferentes das planejadas, seja por aumento não previsto no custo de materiais, ou por paralisações, mudanças no escopo, entre outras.

Quando isso acontece, o engenheiro de custos precisa revisar o orçamento para não perder o controle do custo do empreendimento, indicando ações para que o desvio seja o mínimo possível e ações corretivas. Nessa etapa, o engenheiro também pode informar quais mudanças são viáveis financeiramente e quais não são.

A importância da redução de custos em uma obra

É muito comum ocorrer complicações, imprevistos ou alterações em uma obra. Então, o engenheiro de custos precisa replanejar o orçamento e a forma de execução dos serviços. Também é muito recorrente o atraso no cronograma, impactando significativamente os custos da obra e podendo reduzir a lucratividade ou resultar em déficits financeiros.

O atraso no cronograma e aumento do tempo de obra impactam o orçamento, pois custos fixos serão elevados, proporcionarão alterações no fluxo de caixa, gerarão multas, perda de credibilidade e problemas com clientes, reduzindo o desempenho do empreendimento.

A importância do engenheiro de custos é justamente mudar essa realidade por meio de conhecimentos e habilidades que permitem identificar as fragilidades, propor ações corretivas e caminhos para que os desvios e as alterações não impactem negativamente um projeto.

Esse profissional precisa ter amplo conhecimento em várias técnicas e soluções construtivas, a fim de propor opções eficientes de redução do custo ou soluções rápidas para os problemas, imprevistos e atrasos, evitando que se acumulem. Porém, todas essas ações de redução de custos devem ser feitas sem abrir mão da qualidade, mantendo a utilização de materiais, equipamentos e mão de obra qualificados.

Para isso, é essencial que o engenheiro de custos tenha uma formação ampla, conhecimentos consolidados em engenharia e noções de administração, direito e contabilidade.

Gostou deste texto? Quer saber mais sobre como é possível reduzir os custos de uma obra, mantendo a qualidade final do produto? Então, aproveite a visita ao blog e confira 5 dicas para a redução de custos em obras sem perder a qualidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *