Aprender a programar faz diferença na carreira do engenheiro?

Aprender a programar faz diferença na carreira do engenheiro?

Para muitos engenheiros, a realização de cálculos e a interpretação de dados e gráficos é constante e demanda muito tempo. Não há como fugir disso, é uma área de atuação competitiva e que exige conhecimentos matemáticos avançados. Contudo, essa imensidão de números não precisa ser trabalhada de maneira desgastante. Por isso, é importante aprender a programar.

É claro que o engenheiro não precisa reter todos os conhecimentos e nem ser um expert em programação, a não ser que seja um engenheiro da computação. Para os demais, dominar alguns conceitos, saber um básico sobre programação e como aplicá-la nas funções realizadas no dia a dia já é suficiente.

Quer saber como aprender a programar pode ser o diferencial que faltava na carreira de engenharia? Então continue a leitura!

Como aprender a programar pode fazer diferença na vida do engenheiro?

Já na graduação, o engenheiro tem os primeiros contatos com a linguagem computadorizada e com as teorias de programação. Muitas vezes isso pode não fazer sentido logo de início. Afinal, como aprender a programar pode mudar a vida do futuro engenheiro? A resposta é simples: facilitar e otimizar os trabalhos realizados futuramente.

Aprender e, principalmente, entender a linguagem de programação vai facilitar muito a vida do engenheiro na hora de realizar as atividades cotidianas do trabalho. Muitas tarefas sequenciadas que fazem parte da vida do engenheiro podem ser atribuídas aos computadores, economizando tempo e otimizando trabalho.

Em quase todas as profissões, o uso de tecnologia é fator obrigatório. Em um mercado de trabalho cada vez mais competitivo, saber manusear a tecnologia para melhorar o desempenho já um diferencial ou pré-requisito. Para os engenheiros, que utilizam diversos softwares, é ainda mais necessário. Atualizar planilhas, preencher dados de campos e criar estatísticas, por exemplo, fica muito mais fácil se o engenheiro adaptar ou construir um algoritmo específico.

Soma-se a isso, o fato de que a grande tendência do momento é a de armazenamento de dados. Seja em qual profissão for, o levantamento, armazenamento e interpretação de dados é indispensável. Fazer esse trabalho de maneira manual é quase inviável. O uso de softwares é indispensável, e a programação ajudará muito nessas tarefas.

Quais os diferenciais do profissional que aprende a programar?

Agora já sabemos a importância e o diferencial que é adquirir conhecimentos mais aprofundados sobre programação na vida do engenheiro, correto? Afinal, nesse mercado tão competitivo, saber desempenhar funções mecânicas com a ajuda de softwares e algoritmos pode se tornar mais prazeroso e mais fácil.

Pensando nisso, separamos 5 diferenciais que saber programar vão trazer para o ambiente profissional e otimizarão o trabalho do engenheiro. Confira nas próximas linhas.

1.Dominar conceitos básicos

Ao utilizar algumas ferramentas e softwares específicos para exercer a profissão, o engenheiro que já tem conhecimentos de programação entende com muita facilidade como usar essas ferramentas e extrair o máximo de potencial delas.

Entender a linguagem de programação faz com que trabalhos corriqueiros sejam desempenhados muito mais facilmente, já que o profissional entende como funciona, e sabe dos processos da linguagem computacional, como consiste o conjunto de instruções que são passadas para o computador processar dados e realizar tarefas.

2.Entender o funcionamento dos algoritmos

Os algoritmos são um conjunto de fatores que realizam ou desempenham uma função específica com a finalidade de resolver algum problema. Muitos softwares utilizados na engenharia utilizam os algoritmos para otimizar as informações recebidas e entregar o resultado esperado.

O engenheiro que entender esse funcionamento e tiver conhecimentos de programação poderá adaptar ferramentas tecnológicas para chegar a um resultado muito mais eficiente e específico. Ou seja, um trabalho mais eficiente e otimizado.

3.Melhorar o desempenho do setor

Poder utilizar os conhecimentos de programação para desenvolver soluções que facilitem o trabalho dentro de uma empresa é um diferencial. Documentar procedimentos de cálculos em plataformas como Excel ou Word pode ser desgastante. Mas não precisa ser assim.

Além disso, muitos programas utilizados nas tradicionais instituições são funcionais, mas podem não estar atualizados. Logo, um programador mais experiente vai entender dos programas que melhor se adequam às necessidades da empresa e poderá recomendá-los com muito mais propriedade.

4.Aprimorar os conhecimentos

Existem diversas instituições que oferecem cursos de programação que podem atender às necessidades do engenheiro. Mas o conhecimento de algumas ferramentas é indispensável. Ferramentas como o Python, que analisa dados diversos e estatísticas robustas, é um deles.

Resolver equações e matrizes complexas é papel do engenheiro, para tanto, o profissional pode se valer do Matlabs. Essas ferramentas exigem um grau de conhecimento, e entendê-las a fundo é sinônimo de aprender novas competências e estar sempre adquirindo novos conhecimentos. Indispensável para o mercado de trabalho.

5.Programação na grade curricular

Nos cursos de engenharia, é muito comum encontrar, já nos primeiros semestres de estudo, cursos de programação. Muitas dessas aulas são sobre a introdução à programação e noções inicias acerca de variáveis e a estrutura de programação. Essas aulas podem ser divididas em teóricas e práticas e são excelentes para aprender a fazer com que os programas funcionem sem erros.

Sabendo programar de forma otimizada, o futuro profissional pode se destacar em vagas de trabalho e conquistar a capacidade necessária para conquistar posições disputadas no mercado de trabalho.

Dentre os vários motivos que justificam a necessidade do profissional da engenharia refinar seu conhecimentos sobre programação, o de se destacar em ambiente profissional é um dos mais relevantes. Sendo um trabalho que tem como necessidade grandes esforços com a execução de cálculos e até gráficos, entender sobre as principais ferramentas e como utilizá-las é indispensável.

Aprender a programar não é o fator mais importante na vida do engenheiro, mas sim um diferencial. Dominar os conceitos básicos da programação, fazer a correta utilização das ferramentas de cálculos, gráficos e de dados; bem como aprimorar o setor e dar continuidade aos conhecimentos prévios dos cursos são alguns dos motivos que justificam esse aprendizado.

Após ler este artigo ainda restam dúvidas sobre a relevância de aprender a programar para a carreira do engenheiro? Se sim, deixe nos comentários abaixo que vamos responder e sanar todas as dúvidas.

Um comentário no post "Aprender a programar faz diferença na carreira do engenheiro?"

  1. eduardofaria disse:

    Sim, contribuiu. Agregar conhecimento nunca e demais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *