O mercado de trabalho para a Engenharia de Custos

O mercado de trabalho para a Engenharia de Custos

Hoje, devido à pandemia da COVID-19, nos deparamos com novas incertezas somadas à ansiedade e ao receio do que ainda teremos de enfrentar até recuperarmos alguma confiança. Mas, com o passar do tempo, vamos nos adaptando e encontrando uma “nova normalidade”, muitas vezes bem diferente do que entendíamos como normal há poucos meses atrás.

Diante de um cenário tão hesitante, metas e projeções sobre o futuro são, mais do que nunca, incógnitas. Surge, assim, o questionamento inevitável sobre como garantir a sobrevivência individual, familiar e também das empresas dentro da reestruturação econômica, social e organizacional.

A indústria da construção é de fato relevante e essencial na geração de empregos, uma vez que há demanda de profissionais de diversas áreas, refletindo direta e positivamente na economia.

Certamente, as necessidades de suprir as carências de habitação, deficiências no abastecimento de água potável, esgoto tratado, logística, transporte, geração e distribuição de energia, comunicação e outras tantas áreas, constituem grandes desafios, mas também ótimas oportunidades para essa indústria e seus segmentos. Tais necessidades não serão menores após a crise, ao contrário, serão mais intensas e urgentes.

Para aproveitar as grandes possibilidades que se apresentam devemos estar melhor preparados. Para o engenheiro de custos, essa preparação envolve estudos de soluções, projetos de Engenharia, orçamentação e quantificação de recursos necessários para direcionar esforços no sentido de garantir foco nas soluções e superação dos problemas.

Mais uma vez, a Engenharia de Custos revela-se como agente solucionador e transformador, e essa afirmação pode ser evidenciada através da sua própria definição: é a área da Engenharia onde princípios, normas, critérios e experiências são utilizados para resolução de problemas de estimativa de custos, de planejamento e de gerência, bem como ser responsável pela elaboração de avaliações econômicas e controle de empreendimentos. A Engenharia de Custos não termina com a previsão de custos de investimentos, ela vai além, atua na fase de construção com o mesmo rigor, através do planejamento, controle, acompanhamento e definição dos custos de manutenção do projeto, obra ou empreendimento.

O mercado de trabalho ainda é carente de profissionais com conhecimento e experiência nessas atividades, o que significa excelentes oportunidades de trabalho nas diferentes fases dos serviços, sejam eles públicos ou privados.

Tanto as organizações que contratam as obras quanto as empresas que são contratadas e executam os serviços NECESSITAM desses profissionais, havendo demanda também nas instituições de avaliação, controle e auditoria. Ou seja, estamos falando de milhares de postos de trabalho que exigem mão de obra qualificada.

Mesmo durante a crise, precisamos perceber as oportunidades e tirarmos algumas lições, só assim cresceremos. Vamos então surfar essa onda enquanto é tempo, pois toda crise passa!

Engº Fernando José da Rocha Camargo MSc, CRK

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *