Ferramentas BIM para Orçamento de Obras

Ferramentas BIM para Orçamento de Obras

BIM, ou Modelagem da Informação da Construção, pode ser definido como “um conjunto de tecnologias, processos e políticas que permitem aos múltiplos interessados de um empreendimento a colaborativamente projetar, construir e operar uma construção no espaço virtual” (BIM Dictionary).

Por estar relacionado ao ciclo de vida completo da edificação, o BIM não abrange apenas a fase de projeto, sendo utilizado também para as fases de planejamento e orçamento. Ao inserir as variáveis tempo e custo em um modelo, tem-se as conhecidas dimensões 4D e 5D do BIM.

A utilização de ferramentas BIM no processo de levantamento de quantitativos dos serviços para o orçamento possibilita ao profissional um foco maior na análise estratégica dos dados, pois diminui o tempo gasto em tarefas operacionais voltadas à extração manual de quantidades.

Uma das formas de extração de quantidades está relacionada à utilização das informações existentes nos aplicativos de projeto, tais como o Revit, o Archicad e o QI Builder. A partir dos dados associados aos objetos ou aos componentes dos objetos (camadas de material), é possível calcular os quantitativos dos serviços a serem executados. Como vantagem, destaca-se a atualização constante à medida que o projeto evolui, uma vez que qualquer alteração no projeto automaticamente modifica as tabelas de quantidades.

Outra possibilidade é a utilização de ferramentas de verificação e coordenação, tais como o Navisworks e o Solibri, os quais permitem importar arquivos das ferramentas autorais para realizar validação e checagem do modelo. Tais ferramentas também possuem a capacidade de extrair quantidades e reconhecer parâmetros dos elementos existentes.

Existem também aplicativos externos ou plugins cujo objetivo é buscar a integração entre o modelo e o orçamento. No caso de aplicativos externos, apesar de não ser propriamente uma ferramenta BIM, é possível gerar associações diretas das tabelas dos softwares de autoria para as planilhas externas. No caso de plugins, tais como o OrçaBIM do Orçafascio e o Volare Sisplo BIM, os quais são instalados em ferramentas de modelagem como o Revit, é possível vincular diretamente os quantitativos levantados a critérios definidos pelo usuário com as composições selecionadas no orçamento.

Independente das ferramentas e procedimentos escolhidos, o profissional deve estar ciente da necessidade de definir previamente diretrizes para modelagem, que serão registradas no BIM Execution Plan, além de ser essencial a verificação da qualidade do modelo, de forma que as informações contidas nele sejam consistentes. Ao satisfazer essas premissas, o engenheiro de custos pode aliar seu conhecimento e sua experiência às novas metodologias e ferramentas, elaborando um orçamento mais assertivo e otimizado.

Daiane Castro Dias Engenheira Civil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *