Cobrar caro é bom

Cobrar caro é bom

Os salários devem ser justos para todos os profissionais, na verdade o título deste
artigo é mera provocação para que venhamos a cobrar pelo menos o que nos garanta uma
vida digna, como em outros tempos era possível.

O CONFEA, os CREAs e as entidades profissionais de engenharia vêm fazendo campanha pela valorização do profissional da engenharia e arquitetura através da exigência de pagamento por parte dos contratantes do salário mínimo profissional, isto é, que simplesmente cumpram a lei. Parabéns pelo esforço.

Porém, os profissionais com maior experiência devem cobrar por seus serviços valores mais elevados, em função de sua experiência, capacidade e de sua formação acadêmica, assim, o IBEC apresenta em seu site sua Tabela de Honorários Profissionais.

Evidentemente, sabemos que no patamar que estão os preços dos serviços de engenharia e arquitetura para as empresas será difícil qualquer mudança, porém, cabe-nos garantir nossa cidadania, bem como, auxiliar as empresas a obter o Preço Justo também.

Para isso, sugerimos aos profissionais adotar a remuneração horária da tabela a seguir e efetuar a previsão das horas técnicas de trabalho para concluir o serviço com tranquilidade e qualidade.

O IBEC mantém a Tabela de Honorários para diferentes atividades profissionais no
ramo da engenharia e arquitetura, podendo acessá-las pelo site www.ibec.org.br

Com a utilização destas faixas salariais basta ao profissional dimensionar a quantidade de horas de trabalho que o serviço irá gerar, incluindo visita inicial ao cliente, tempo de elaboração do trabalho, apresentação do trabalho ao cliente e retrabalhos futuros.

A seguir foram feitos 2 exemplos para facilitar o entendimento:

1. Uma empresa construtora solicita a elaboração de um orçamento de uma obra rodoviária com prazo máximo de elaboração de 10 dias. Adotando a faixa de Engenheiro Sênior, a proposta pode ser a apresentada a seguir:

Remuneração Horária: R$ 351,29
(Com Tributos sobre a Receita)

Quantidade Prevista de Horas Técnicas: 86
Previsão de Horas Técnicas:
– Visita inicial ao cliente: 1dia ou 8 horas
– Tempo de elaboração do trabalho: 6 dias ou 60 horas
– Apresentação do trabalho ao cliente: 1 dia ou 8 horas
– Retrabalhos futuros: 2 dias ou 10 horas
Total em horas 86 horas

PREÇO DO SERVIÇO = Remuneração Horária x Quantidade Prevista de Horas Técnicas

PREÇO DO SERVIÇO = R$ 351,29 x 86
PREÇO DO SERVIÇO = R$ 30.210,94

2. Uma empresa construtora solicita a elaboração de um orçamento de uma obra edificações pelo SINAPI com prazo máximo de elaboração de 15 dias, exigindo uma viagem de carro particular de 240 km e duração de viagem de 1 dia. Adotando a faixa de Engenheiro Pleno, a proposta pode ser a apresentada a seguir:

Remuneração Horária: R$ 253,73 (Com Tributos sobre a Receita)

Quantidade Prevista de Horas Técnicas: 102
Previsão de Horas Técnicas:
– Visita inicial ao cliente: 1dia ou 6 horas
– Viagem para visita à obra: 1 dia ou 8 horas
– Tempo de elaboração do trabalho: 6 dias ou 70 horas
– Apresentação do trabalho ao cliente: 1 dia ou 8 horas
– Retrabalhos futuros: 2 dias ou 10 horas
Total em horas 102 horas

Custo de utilização de veículo próprio:
– Preço por KM = Preço da Gasolina x 33% = R$ 4,80 x 0,334 = R$ 1,60
– 240 km x R$ 1,60/km: R$ 384,00
PREÇO DO SERVIÇO = Remuneração Horária x Quantidade Prevista de Horas Técnicas + Custo do Veículo

PREÇO DA MÃO DE OBRA = R$ 253,73 x 102 = R$ 25.880,46

PREÇO DO SERVIÇO = R$ 25.880,46 + R$ 384,00
PREÇO DO SERVIÇO = R$ 26.264,46

Engº Civil UFRJ – 1975 Paulo Roberto Vilela Dias, Mestre em Engenharia Civil UFF – Universidade Federal Fluminense,
MSc CRK ICEC/IBEC – Certified Remarkable Knowdlege
Presidente do IBEC – Instituto Brasileiro de Engenharia de Custos
Diretor para as Américas do ICEC – International Cost Engineering Council

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *