Não perca 7 aplicações da tecnologia BIM na construção civil

Não perca 7 aplicações da tecnologia BIM na construção civil

BIM é uma sigla para Building Information Modeling, que é traduzida para português como Modelagem da Informação da Construção. A tecnologia BIM já está presente em diversos países há muitos anos, porém também está tomando cada vez mais força no setor da construção civil brasileira.

Isso tem acontecido pois a tecnologia BIM é capaz de solucionar diversos problemas recorrentes na indústria da construção, como atrasos nas entregas, elevação dos custos, erros em orçamento, planejamento, incompatibilidades entre projetos, retrabalho, baixa produtividade, entre outros.

Você quer entender mais sobre a tecnologia BIM? Então, continue a leitura, pois neste texto você entenderá quais são os benefícios e as 7 principais aplicações. Não perca!

O que é tecnologia BIM

O BIM consiste em um modelo da construção que pode ser iniciado desde o estudo de viabilidade e pode conter informações como modelagem 3D, levantamento de quantitativos, orçamento, planejamento, plano de construção e dados referentes ao uso e à ocupação.

Portanto, como pode-se ver, essa é uma tecnologia que une diversas informações, dados e detalhes de todos os projetos relacionados a determinado empreendimento, assim como dados de sua viabilidade, projetos, compatibilização, planejamento, orçamento, entre outros.

Contudo, para muitos, essa tecnologia se resume a desenhos 3D ou a softwares de modelagem 3D e isso não é verdade, afinal, a modelagem 3D é apenas uma pequena parte de todo o processo. O BIM é um conceito e, além disso, também é uma forma de gestão que envolve a aplicação de vários sistemas, que são utilizados em diversas etapas de um empreendimento.

A tecnologia BIM conta com diversos tipos de softwares que, mesmo sendo de diferentes plataformas, podem se comunicar por meio da interoperabilidade ou por links compartilháveis, onde é possível compartilhar as informações relevantes do modelo entre todos os envolvidos.

Qual é sua importância para a construção civil e engenharia

Com a tecnologia BIM e a possibilidade de integração e compartilhamento de informações e dados entre os softwares e demais envolvidos no projeto, é possível juntar os diversos projetos e dados do modelo a ser construído e realizar análises de interferências, como, por exemplo, a compatibilização entre as diversas disciplinas de projeto.

Essa possibilidade reduz o índice de retrabalho, aumenta a produtividade e inclusive reduz erros e paralisações no serviço, possibilitando melhor emprego dos recursos e maior lucratividade.

Além disso, a tecnologia BIM permite que os profissionais trabalhem com parâmetros que vão além de espessura, altura e comprimento, como é comum em projetos 2D.

No BIM é possível inserir dados, como especificação de cada material, fabricante, propriedades, entre outras informações que sejam relevantes. Por meio da inclusão correta desses dados e parâmetros, é possível levantar quantitativos, realizar orçamentos, entre outras funções.

Somado a esses aspectos, existe o fato de que, por meio da integração dos softwares e colaboração proporcionada pelo BIM, os quantitativos e orçamentos são automaticamente atualizados à medida que alguma alteração é realizada no projeto. Com isso, é possível evitar que os projetistas e demais profissionais envolvidos necessitem refazer os quantitativos ou orçamentos.

Quais são as 7 principais aplicações da tecnologia BIM

1. Análise de viabilidade

A tecnologia BIM permite o estudo de massa, ou seja, analisar área e volume apenas, possibilitando uma diferente forma de concepção de projeto.

Essa etapa de desenvolvimento é denominada de nível de desenvolvimento (ND) 100 — que é a fase inicial da concepção dos empreendimentos. Por meio do trabalho com área e volume, o incorporador consegue retirar dados como custo e prazo.

2. Construção virtual

Conforme explicamos, o BIM proporciona um modelo da construção em vez de um desenho. Esse modelo contém indicativos como tipo de material, fabricante, espessura, altura, volume, entre outras. Por meio desses dados, é possível retirar diversas outras informações, como: quantitativos, analisar interferências, definir o planejamento, realizar orçamento, entre outras.

3. Planejamento e orçamento

Por meio das informações e dos parâmetros contidos no modelo é possível gerar quantitativos, e a partir deles realizar todo o planejamento do empreendimento — indicando o tempo e a duração de cada etapa, assim como seu orçamento — quando incluídos os custos de cada material.

Os dados são extraídos de forma simplificada e atualizadas sempre que forem realizadas modificações nos projetos, permitindo, inclusive, o teste de diferentes materiais, procedimentos e maior confiabilidade.

4. Construção

A construção é realizada de forma mais segura e acompanhada, reduzindo muitos erros, problemas, retrabalho e aumentando a produtividade, qualidade e segurança.

Isso ocorre uma vez que a qualidade e maior número de informações, verificação de interferências e maior facilidade de gestão proporcionam um processo mais eficiente e permite que muitas dúvidas sejam retiradas por meio da geração de cortes, visualização de detalhes do modelo, obtenção de cronogramas, entre outros.

5. Colaboração

A tecnologia BIM permite a colaboração online entre os diversos envolvidos no empreendimento, ou seja, os stakeholders. As principais formas de colaboração são:

  • ambientes próprios para a gestão de documentos e comunicação;
  • servidor para desenvolvimento integrado de projetos;
  • gestão dos processos de projeto;
  • gestão de quantidades;
  • validação de projetos;
  • visualizações por meio de hotlinks, servidores BIM e modelo federado.

Os principais stakeholders são:

  • empreendedor;
  • incorporador;
  • projetistas;
  • gerente e coordenador de projeto;
  • profissionais envolvidos na construção;
  • contratantes;
  • consultores;
  • fornecedores;
  • cliente/usuário.

6. Análise de interferências

Muitos profissionais conhecem um pedaço dessa aplicação, porém existem outros tipos de análise que vão além da compatibilização dos projetos. São 4 os tipos de interferências:

  • interferências físicas fortes — são as que ocorrem em tubulações e estruturas, por exemplo;
  • interferências físicas fracas — são as que se relacionam com a construtibilidade do modelo em relação ao uso e à operação normal;
  • interferências entre o modelo e as normas e os regulamentos, como, por exemplo, atendimento à norma de desempenho, código de edificações, entre outros;
  • interferências com tempo e movimento, como, por exemplo, a análise do canteiro e dos equipamentos a serem utilizados, evitando que ocorra colisão entre eles durante o uso.

7. Operação e manutenção

A tecnologia BIM também é muito importante para o uso, a operação e manutenção da edificação, uma vez que aproximadamente 75% do custo da edificação em toda sua vida útil são referentes a esse período.

Portanto, as melhorias em eficiência, redução de custos, maior qualidade da construção e principalmente a criação de um banco de dados do edifício possibilitam o acompanhamento e uma melhor operação e manutenção do empreendimento.

Onde aplicar a tecnologia BIM

Como você pôde ver, a tecnologia pode e deve ser aplicada em todos os empreendimentos, desde a sua análise de viabilidade, concepção, até o seu uso, operação e manutenção. Realmente, essa informação pode parecer estranha em um primeiro momento, porém os benefícios proporcionados são significativos para todos os envolvidos, proporcionando maior produtividade, qualidade e melhor emprego dos recursos.

Gostou de saber o que é tecnologia BIM? Quer se tornar um expert no assunto e entender tudo sobre essa tecnologia? Então, aproveite a visita ao blog e leia o texto “O que é BIM: entenda tudo sobre o assunto”.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *