Confira o passo a passo para fazer o descarte de entulho!

Confira o passo a passo para fazer o descarte de entulho!

Em qualquer tipo de obra sempre são gerados resíduos e fazer o descarte de entulho adequado é essencial para gerar menos impactos ambientais. Assim como as demais etapas da construção, o momento de descartar insumos que não são mais necessários também precisam de atenção especial. A geração de resíduos sólidos em uma obra pode ser gigantesca, portanto é fundamental fazer a destinação correta desses materiais que demoram anos para se decompor.

Nesse sentido, as sobras da construção civil podem representar um impacto ambiental considerável se não tiverem o descarte certo. Por isso, procurar por opções para realizar esse serviço deve ser prioridade, até por que jogar os restos da obra em locais inadequados podem acarretar em consequências legais perante a legislação.

Para entender melhor sobre a maneira correta de fazer o descarte de entulho, sua importância e outras informações, acompanhe o post e aprenda mais sobre o assunto!

Como identificar o que é entulho?

O entulho nada mais é do que os Resíduos da Construção Civil (RCC). Também conhecido como metralha ou caliça, os restos provenientes da obra e de ações como reformas, construções, escavações ou demolições são todos classificados como entulho. Esses resíduos são compostos por:

  • tijolos;
  • telhas;
  • metais;
  • resinas;
  • blocos;
  • cerâmica;
  • tintas;
  • argamassa;
  • vidros;
  • fios elétricos;
  • madeira e muitos outros materiais.

Por mais que o projeto e sua execução sejam importantes, no planejamento deve constar como será feito o descarte de entulhos gerados na obra. A Associação Brasileira para Reciclagem de Resíduos da Construção Civil e Demolição (Abrecon) institui duas classificações de materiais: entulho de construção e entulho de demolição.

O primeiro tipo, entulho de construção, é constituído por fragmentos de materiais e restos. Enquanto isso, o entulho de demolição são apenas fragmentos. Saber as diferenças é importante para que a separação seja feita e, assim, se dê a destinação correta a cada um dos tipos.

Qual importância do descarte correto?

Não é incomum encontrar entulhos de obras em calçadas e jogadas em outros espaços públicos. Muitas empresas que recolhem os resíduos também os descartam de maneira indevida, o que pode gerar danos ambientais. Essas sobras de construções demoram bastante tempo para se decompor se forem jogadas na natureza e a indústria da construção civil é uma das que mais geram impactos ambientais, devido o grande volume de resíduos que produz.

Órgãos nacionais e municipais estabeleceram suas diretrizes de descarte de entulho de forma que lidem com os resíduos fabricados nas obras com a destinação correta.

Desde o planejamento da construção é necessário saber quanto de entulho será produzido e de qual tipo. Assim, é possível saber qual tipo de recolhimento e descarte será adotado. As resoluções da Conama exigem que as construtoras tenham programas de gestão de resíduos para que se consiga o licenciamento da obra.

Para que esses restos sejam levados para o local certo, deve-se contratar empresas que tenham a licença para lidar com o entulho. Dessa forma, é possível ter certeza que o descarte não será feito em locais inapropriados. Apesar de serem sobras, ainda se consegue reaproveitar muitos desses elementos na reciclagem para fazer a produção de agregados.

O que diz a legislação?

Segundo a Legislação Federal, as construtoras são responsáveis por todo o entulho gerado em seus canteiros de obras. Desse modo, precisam respeitar a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) e acompanhar todos os processos de descarte de entulho. Desde o momento de recolhimento até o destino final a empresa deve se certificar que o RCC chegará ao local certo, sob pena de multa.

Já as prefeituras também contam com um Plano Municipal de Resíduos da Construção Civil, em que os locais de descarte adequados são especificados, bem como os procedimentos para se conseguir o licenciamento. Caso esse plano não seja seguido corretamente, o município pode até perder repasses de verbas enviados pelo governo federal.

Existem 5 normas que definem as disposições legais e técnicas sobre separação, reciclagem e descarte responsável de entulhos, são elas: NBR 15112/2004; NBR 15113/2004; NBR 15114/2004; NBR 15115/2044; NBR 15116/2004.

Além disso, os entulhos podem receber 4 tipos de classificações, de acordo com a Resolução n° 307/2002 da Conama.

Classe A

Os resíduos da classe A são os que podem ser reutilizados e reciclados, provenientes de demolição ou de obras, como: concretos, argamassas, telhas, tijolos, placas de revestimento e blocos.

Classe B

A classe B é constituída por materiais recicláveis como plásticos, vidros, gessos, papéis e diversos tipos de madeira.

Classe C

Entulhos que não podem ser reciclados ou recuperados por não terem tecnologia ou aplicações para isso fazem parte da classe C.

Classe D

Fazem parte da classe aqueles materiais que representam algum tipo de perigo, tais como tintas, amianto, óleos, solventes e entulhos de instalações industriais e de clínicas radiológicas.

Onde ele deve ser destinado?

Como uma boa parte do material descartado pode ser reaproveitado, o entulho pode ser enviado para centros de reciclagem ou aterros sanitários que sejam próprios para receber os resíduos da construção civil. Entretanto, aqueles restos que representam perigo e contaminação devem ser encaminhados para triagem, aterros industriais ou áreas de transbordo.

O descarte correto de entulhos é estabelecido pelas prefeituras, então é preciso ter atenção ao que cada município diz a respeito do assunto. Muitos dos materiais que podem ser reciclados são reaproveitados para nivelar depressão em terrenos, aterrar espaços e valas e outras opções. Assim, a gestão de resíduos evitará desperdícios e ainda poderá reduzir os custos no canteiro de obras.

Quais os riscos do descarte inadequado?

Quando os materiais das obras não recebem a destinação certa eles geram um grande impacto ecológico. A falta de tratamento nos resíduos e descarte incorreto pode causar assoreamento de rios, lagos e mananciais, contamina o solo e contribui para enchentes e para a proliferação de bichos e doenças, como insetos (causadores da dengue, febre amarela e chikungunya), roedores, escorpiões, baratas e outros.

Para evitar transtornos e problemas legais é mais interessante contratar uma empresa especializada que faça o descarte de entulho em local adequado. É preciso ter muito cuidado para escolher uma equipe que siga a legislação e faça os procedimentos de forma responsável, evitando possíveis multas. Assim, todas as etapas da construção são feitas com segurança e dentro das diretrizes estabelecidas pelos órgãos.

O que achou do post sobre descarte de entulho? Siga nossa página no Facebook para acompanhar mais conteúdos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *